NOTÍCIAS

FIQUE POR DENTRO DO MUNDO DAS PISCINAS

Hidroterapia no Tratamento dos Problemas de Coluna




 

Hidroterapia no Tratamento dos Problemas de Coluna

Mais e mais pessoas estão à procura de métodos alternativos para tratamento de seus problemas. A homeopatia, cromoterapia, florais de Bach e hipoterapia são alguns dos exemplos mais conhecidos, assim como a hidroterapia. A piscina tem-se revelado uma excelente alternativa dentro da fisioterapia, por ser um meio mais confortável e lúdico para o paciente se recuperar.

Como tudo que envolve água, a hidroterapia apresenta vários benefícios para o corpo. Ela possui características diferentes da hidroginástica porque quem a busca são pessoas com quadro de dor, dificuldade de movimentos e que necessitam relaxar a musculatura. A água, nesse caso, deve estar de 33°C a 35°C por causa dos efeitos que se busca: aumento da temperatura do corpo, relaxamento e melhor circulação.

Para cada problema um exercício

Quem tem problemas de coluna é bastante beneficiado pela hidroterapia por que a água diminui muito a dor provocada por determinados movimentos, além de diminuir o peso do corpo. "Cada caso necessita de uma correta avaliação, normalmente feita em conjunto com o médico e o fisioterapeuta", diz Mônica Kestener Fraga, fisioterapeuta da Takeda Natação. "A hidroterapia requer um período de adaptação do paciente à água. Os exercícios não são um fim em si mesmos, a pessoa deve gostar do contato com a água; caso tenha medo esse problema deve ser trabalhado, e é interessante o aprendizado da natação", diz Mônica, salientando que a natação é o último passo dentro do tratamento, caso o paciente tenha condições físicas para praticá-Ia.

As pessoas com problemas de coluna trabalham muito com exercícios específicos em que flutuam na água, por isso é muito importante estarem relaxadas e aclimatadas.

O tempo de tratamento dos males de coluna é muito relativo, "alguns chegam aqui com quadros de dor e em um mês já apresentam melhoré;ls, tudo depende da frequência e do grau de gravidade do problema".

A dor como um sinal

Nem sempre somos nós que percebemos nossos problemas de postura, muitas vezes são os outros que os identificam. Alguém vem e comenta: "seus ombros estão caídos", "você está carregando o mundo nas costas?". Na verdade, as pessoas têm pouca consciência corporal. Mas tudo o que se faz de errado em termos de postura e movimento tem as suas conseqüências.

Má postura, esportes aleatórios (musculação e ginástica sem orientação), acidentes domésticos ou automobilísticos, membros engessados por longo período e muitas profissões também podem ser responsabilizadas pelas dores ou deformações físicas, como a de secretárias, jardineiros, atletas, carregadores, etc...

Mas a dor na coluna pode ser reflexo de um problema localizado em outra parte do corpo. "Normalmente existem outros problemas que acompanham os pacientes com problemas de coluna, e é função do fisioterapeuta descobrir suas causas. Existem muitas. Uma torção no joelho há muitos anos, quedas e traumatismos que muitas vezes os pacientes já nem lembram mais, podem estar influenciando em uma dor presente.

A dor é um sinal de que as coisas não vão bem. A tendência é compensarmos o problema inconscientemente. A dor vai aparecer inesperadamente e nem sempre a causa é recente", diz Mônica.

Problemas mais comuns de coluna

Escoliose: Se ela não for acentuada, pode-se nunca chegar a percebê-Ia. Um desvio acima de 10 graus já é perceptível, embora não seja necessariamente dolorido. A escoliose é um desvio lateral da coluna, tanto em S quanto em C. Pode ser uma má formação congênita ou adquirida (postural).

Aumento da cifose (corcunda): aumento da curva normal em virtude da má postura ou má formação. Normalmente é postural.

Ombros caídos: Também é decorrente da má postura, em geral acompanha a cifose.

Aumento da lordose (lombar ou cervical): Assim como a cifose, a lordose é uma característica normal da coluna, mas devido à má postura ou problemas congênitos ela se acentua.

Como prevenir

Problemas estéticos à parte, o primeiro sintoma que faz com que alguém procure tratamento é a dor, e ela não se manifesta em todos os casos ou sempre.

A prevenção dos problemas de coluna devem começar em criança. Os pais devem observar seus filhos já nos primeiros passos. A fase crítica vai ser dos 7 aos 12 anos (meninas) e até aos 15 (meninos), época de crescimento rápido e muitos complexos que podem influenciar a postura corporal.

Os problemas mais simples são facilmente prevenidos com o estímulo a uma postura corporal melhor, mais equilibrada. "A coluna é como um eixo em que devemos ficar equilibrados. Os problemas só ocorrem se desprezamos a importância desse eixo", afirma Mônica.

Conforme a criança cresce os problemas tendem a se agravar, por isso que os exercícios voltados para a postura são muito importantes. A natação é um ótimo auxiliar e preventivo, mas nem sempre resolve problemas mais específicos. Pratique os exercícios hidroterápicos recomendados para problemas de coluna.

Quadril alinhado, postura correta, água na altura da cintura, abaixar e levantar, mantendo a postura correta (em pé).

Na parede: puxar uma perna d cada vez para si e segurar por alguns segundos. Alongar uma perna de cada vez, puxando a ponta do pé para si.

De barriga para baixo: fazer "tartaruga". Segurar os dois joelhos fazendo flexão total e expirando na água.

Colaboração: Mônica Kestener Fraga - Takeda Natação - Fone: (011) 872-9088.