NOTÍCIAS

FIQUE POR DENTRO DO MUNDO DAS PISCINAS

Que tal se formar em baixo dágua?




Que tal se formar em baixo dágua?

Já pensou em receber o diploma de conclusão de um curso embaixo dágua? Nada mais diferente do que as cansativas colações de grau. Mas isso é para um seleto grupo do Corpo de Bombeiros que participa do curso de Mergulho de Segurança.


A formatura desses profissionais se dá mesmo embaixo dágua. Até porque os bombeiros passam 45 dias submersos, na piscina, em represas e no mar, pela manhã, tarde e noite para realizar resgate de pessoas e objetos no fundo desses locais. O curso segue os manuais da Marinha do Brasil.

18 quilos sobre o corpo - Na cerimônia, os alunos têm que se equipar e se desequipar no fundo de uma piscina cuja profundidade pode variar entre 6 e 8 metros. Isso significa colocar junto ao corpo um conjunto de equipamentos (cinto de lastro, cilindro, máscara, válvulas entre outros) que juntos somam até 18 quilos, necessários para o mergulho em segurança para enfrentar as adversidades que esses profissionais irão encontrar em seu dia-a-dia.

Eles recebem o brevê das mãos de autoridades da área de mergulho, o qual será incorporado à farda. “É; para se sentir vitorioso e diferente dos demais poder ostentar no peito um brevê de mergulhador do Corpo de Bombeiros”, enfatiza o capitão do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, Henguel Ricardo Pereira.

Celebridades - A turma ainda tem uma madrinha, especialmente convidada para abrilhantar a cerimônia. Freqüentemente, celebridades como as apresentadoras Luiza Mel, Ana Maria Braga e Ellen Ganzarolli ocupam o posto de honra, uma forma de prestigiar a turma e de dar visibilidade ao curso.

A apresentadora Ana Hickmann foi a madrinha da última turma, formada em 17 de abril deste ano pelo Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo. “Às vezes, elas estão ligadas a algumas atividades como a preservação do meio ambiente, como Ana Maria Braga. A Ana Hickmann fez matérias sobre mergulho e gosta de mergulhar. É; também uma maneira de divulgar [o curso]”, explica o 1° Tenente chefe da Comunicação do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, Miguel Jodas.